Bate-papo na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, dia 14 de maio de 2017

Bate-papo na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, dia 14 de maio de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

31 de out de 2013

EDITAL IMAGENS DA MEMÓRIA / FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES



Obs: este material tem caráter apenas informativo, não substituindo a leitura completa do Edital

·                     Serão selecionados 12 projetos de documentários inéditos, no formato média-metragem (26 minutos)
6 projetos PESSOA FÍSICA (100.000 reais cada)
6 projetos PESSOA JURÍDICA (100.000 reais cada)

·                     TEMA: Histórias sobre a Escravidão, com foco em depoimentos de anciãos, a partir de 80 anos, oriundos de comunidades tradicionais de matriz africana relatando suas memórias vinculadas ao período escravista e à presença negra no Brasil;
Comunidades tradicionais de matriz africana: quilombos, jongo, maracatu, congada, tambor de criola e outras manifestações culturais, bem como comunidades de terreiros;

·                     QUEM PODE PARTICIPAR:

a)      Pessoas Físicas: artistas ou produtores culturais que obrigatoriamente comprovem, em seu currículo, experiência de no mínimo 03 anos no desenvolvimento de atividades artísticas e culturais com temas ligados à cultura negra, e no universo cinematográfico (documentários, vídeos, dvd e etc) – ver item 4.1 e 4.1.1 do Edital

b)      Pessoas Jurídicas: instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, que comprovem no seu portfolio experiência de no mínimo 03 anos no desenvolvimento de atividades artísticas e culturais com temas ligados à cultura negra, e no universo cinematográfico (documentários, vídeos, dvd e etc) – ver item 4.1, 4.1.2 e 5.3.3 do Edital

·                    INCRIÇÕES: até o dia 14 de novembro, SOMENTE POR SEDEX (item 5.5), valendo como comprovação a data de postagem contida no carimbo dos Correios, e desde que sejam recepcionadas na FCP em até 05 dias após o prazo de encerramento das inscrições (item 5.2 e 5.5 do Edital).

·                    Na inscrição, o proponente deverá apresentar TODOS os documentos exigidos pelo Edital, sob pena de desclassificação. A documentação referente ao candidato Pessoa Física está no Item 5.3 do Edital, e a documentação para Pessoa Jurídica está elencada no Item 5.4.

·                    Os proponentes selecionados firmarão CONTRATO com a FCP, com a vigência de 06 meses. Portanto, o prazo de execução para o projeto do documentário é de 06 meses, contados a partir da assinatura do contrato.

·                    Informações sobre o Edital podem ser obtidas através do e-mail editalimagensdamemoria2013@palmares.gov.br




EDITAL III IDÉIAS CRIATIVAS ALUSIVO AO DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA – 20 DE NOVEMBRO / FUNDAÇÃO CULTURAL PALMARES



Obs: este material tem caráter apenas informativo, não substituindo a leitura completa do Edital

·                     Serão selecionados 38 projetos para a realização de atividades artísticas, socioculturais e formativas alusivas ao 20 de Novembro – Dia da Consciência Negra

18 PROJETOS na categoria PESQUISA, PRODUÇÃO E PUBLICAÇÃO
(9 projetos para PESSOA FÍSICA e 9 projetos para PESSOA JURÍDICA, no valor de R$ 25.000,00)

20 PROJETOS na categoria ATIVIDADES SOCIOCULTURAIS FORMATIVAS
(10   projetos PESSOA FÍSICA e 10 projetos PESSOA JURÍDICA, no valor de R$ 25.000,00)

·         Categoria 1 – Pesquisa, Produção e Publicação de trabalho e ações-> nesta categoria enquadram-se: projetos de sistematização de trabalhos vinculados à produção artística negra, em suas diversas linguagens e expressões (artes visuais, circo, dança, fotografia, literatura, música e teatro). As publicações poderão ter formato de livro, catálogo, plataformas digitais e serão veiculadas por meio de suportes impresso e/ou digital. Nessa categoria poderão também se inscrever trabalhos voltados para tratamento de acervo da história e personalidades negras.

·         Categoria 2 – Atividades socioculturais formativas-> nesta categoria enquadram-se: realização de atividades socioeducativas e de formação, com carga horária mínima de 40 horas e fornecimento de certificado aos participantes, com vistas a suscitar a reflexão política acerca da cultura afro-brasileira, bem como fornecer qualificação para atividades culturais. Exemplos: oficinas, workshops e/ou cursos de fotografia, tv, rádio, informativos impressos, culinária, moda, design, websites, webdesigner e etc.

·         QUEM PODE PARTICIPAR:
Pessoas Físicas: artistas ou produtores culturais que obrigatoriamente comprovem, em seu currículo, experiência de no mínimo 03 anos no desenvolvimento de atividades artísticas e culturais com temas ligados à cultura afro-brasileira – ver item 4.1 e 4.1.1 do Edital

Pessoas Jurídicas: instituições privadas, com ou sem fins lucrativos, que comprovem no seu portifólio experiência de no mínimo 03 anos no desenvolvimento de atividades artísticas e culturais com temas ligados à cultura afro-brasileira – ver item 4.1, 4.1.2 do Edital

·                     INCRIÇÕES: até o dia 14 de novembro, SOMENTE POR SEDEX (item 5.5), valendo como comprovação a data de postagem contida no carimbo dos Correios, e desde que sejam recepcionadas na FCP em até 05 dias após o prazo de encerramento das inscrições (item 5.2 e 5.6 do Edital).

·                     Na inscrição, o proponente deverá apresentar TODOS os documentos exigidos pelo Edital, sob pena de desclassificação. A documentação referente ao candidato Pessoa Física está no Item 5.3 do Edital, e a documentação para Pessoa Jurídica está elencada no Item 5.4.

·                     Os proponentes selecionados firmarão CONTRATO com a FCP, com a vigência de 06 meses. Portanto, o prazo de execução para o projeto é de 06 meses, contados a partir da assinatura do contrato.


·                     O canal oficial para obter informações e tirar dúvidas sobre o Edital é através do e-mail ideiascriativas2013@palmares,gov.br.  

25 de out de 2013

Cidinha da Silva no FAN, daqui a pouco, às 9:30

Cidinha da Silva, daqui a pouco, às 9:30, no FAN, ao lado dos garbosos Paulo Nazareth e Ricardo Aleixo. Vamos mesmo fechar o comércio. Até lá.
Se ligue: amanhã, no CentoeQuatro (Praça Rui Barbosa), no Ciclo de Debates UM LUGAR NO MUNDO: AFROAMÉRICA, que integra a programação do Festival de Arte Negra de Belo Horizonte/FAN 2013, duas mesas de fechar o comércio e o resto: das 9h30 às 11h, o artista plástico Paulo Nazareth encontra a escritora Cidinha da Silva; das 13h30 às 15h, o poeta e ensaísta Edimilson de Almeida Pereira troca figurinhas com a artista visual Priscila Rezende.
 (4 fotos)

Festival de vídeos sobre a cultura afro-brasileira prorroga inscrições até 05 de novembro de 2013



Estão abertas até 05 DE NOVEMBRO DE 2013 as inscrições para a primeira edição do “Curta Histórias”, festival de curtas-metragens voltado aos alunos matriculados na Educação Básica da rede pública de ensino de todo o país.

Com o tema “Africanidades Brasileiras”, o projeto busca incentivar jovens estudantes na elaboração de vídeos, de até um minuto, sobre a cultura afro-brasileira, utilizando telefones celulares ou câmeras digitais. Podem participar do festival todas as escolas que aderiram aos programas Mais Educação, Projovem e Ensino Médio Inovador.

A iniciativa tem como objetivo valorizar a Educação nas Relações Étnico-Raciais e apoiar a Lei 10.639/03, que torna obrigatório o ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira na Educação Básica.

As equipes vencedoras receberão curso de formação em cinema e empreendedorismo, tablet e um aparelho celular smartphone. Cada escola vencedora ganhará uma cinemateca com data-show, aparelho DVD, filmadora digital e câmera fotográfica. A divulgação dos resultados ocorrerá no dia 25 de novembro, em Brasília.

O “Curta Histórias” é uma realização do Ministério da Educação, por meio da SECADI- Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão , com aFundação Vale, Fundação Telefônica, Associação Casa da Árvore, Sebrae e UNESCO.

Para mais informações acesse: www.curtahistorias.org.

Inscreva-se
Conheça o regulamento do Curta Histórias e saiba como inscrever seu vídeo. As inscrições são gratuitas.

Inscrições Prorrogadas
até 05 de novembro de 2013

24 de out de 2013

Cidinha da Silva às 9:30 amanhã, no FAN - Festival de Arte Negra, em Belo Horizonte



DIA 25/10

09h e 14h – Resultado Laboratório Inno Sorsy e os contadores de história – duas sessões
Local: CentoeQuatro – multiuso 1 
09h às 18h – Seminário Nacional de Moda, Estética Negra e Economia Criativa
Local: Centro de Referência da Moda
09h30 às 11h – Ciclo de Debates: Paulo Nazareth + Cidinha da Silva
Local: CentoeQuatro – sala 3 
10h às 13h / 14h às 17h – Ciclos de Capacitação Artística (Lénablou e Luis Ferron)
Local: Funarte MG
*Essa ação faz parte das Oficinas de Capacitação de Artística e Técnica em Dança da Funarte 2013. 
10h às 13h – Oficina AfroKartonera
Local: CentoeQuatro – espaço multiuso 2
Capacidade: 20 alunos
Público alvo: faixa etária livre.
11h às 22h – Exposição “deumlugarnomundo”
Local: CentoeQuatro – espaço multiuso eixo-central
Artistas: Lídia Lisboa (SP), Lucia Kubitschek (MG), Lúcio Ventania (MG), Marcial Ávila (MG), Márcio Vasconcelos (MA), Michelle Campos (MG), Netun Lima (MG), Sônia Gomes (MG), Tainá Lima (MG), Renata Felinto (SP).
11h às 23h – Ojá Mercado de Cultura
Local: Funarte MG
12h30 – Comunidade do Soul convida Black Machine
Local: Palco principal do IPHAN
13h30 às 15h – Ciclo de debates: Edmilson de Almeida
Local: CentoeQuatro – sala 3
14h – Oficina Estruturas de Encadernação Contemporânea
Local: CentoeQuatro – foyer do cinema
Ministrante: Lúcia Pires Kubitschek
Carga Horária:  20 horas.
Vagas: até 10 alunos por turma.
Público alvo: a partir de 16 anos.
14h – Sessão Cinema: Paz no Mundo Camará
Local: CentoeQuatro – Sala de Cinema
Roda de Conversa e roda de capoeira no foyer do cinema
14h às 17h – Curso Primavera da Savana: Estamparia de Aquarela
Local: Centro de Referência da Moda
Capacidade: 15 pessoas
Público alvo: A partir de 15 anos.
15h30 – Lançamento dos livros “A nora e os outros não bichos” e “O Primeiro Menino” do escritor Edmilson Pereira de Almeida
Local: OJÁ – Funarte MG 
16h às 19h – Polifônica dos Artistas Cênicos Contemporâneos
“Manifesto do Rei do Corpo” com Rodrigo Santos e Cia. Atores do Rei (RJ). Apresentação do trabalho do bando de teatro Olodum (BA) por Chica Carelli
Local: CentoeQuatro – espaço multiuso 1
19h – Françóis Muleka
Local: Palco principal do IPHAN
20h – Carolina: O Luxo do Lixo
Local: Funarte MG 
21h30 – Mãe de Todos os Santos
Local: Palco principal do IPHAN
Direção: Black Josie
Artistas: Nath Rodrigues, Débora Costa, Raíssa Uchôa, Mara do Nascimento, Silvia Gommes, Josi Lopes, Nary Farias, Camila de Ávila, Elisa de Sena, Carla Gomes, Jocasta Roque, Priscila Magella, Poliana Cruz e Karina Marçal.
23h às 24h – Performance Soul: Lénablou e Luis Ferron, participação coletivo do Soul de BH
Local: CentoeQuatro – multiuso 2
23h – BAR DO FAN: SoundSista
Local: CentoeQuatro
- See more at: http://fanbh.com.br/?page_id=77#sthash.oOAidCKk.dpuf

Última oficina para os editais da FCP-MinC em São Paulo



Os Editais Ideias Criativas e Imagens da Memória foram lançados no dia 1º de outubro e estão abertos até o dia 14 de novembro

A Representação Regional da FCP em São Paulo já realizou uma série de oficinas de formação para os Editais Palmares 25 Anos, com o objetivo de responder às dúvidas mais frequentes sobre este tipo de certame, ampliando a participação dos agentes culturais negros.

Foram realizadas oficinas em Sorocaba, Guarulhos, Mogi das Cruzes e São Paulo (Pirituba, São Miguel Paulista e Jardim Patente).

Se você não participou de nenhuma destas oficinas, terá nova chance no dia 29 de outubro, às 19h, em São Paulo/SP!

P A R T I C I P E !!!

QUANDO: 29/10/2013 às 19 horas

ONDE: Auditório do MinC – Alameda Nothmann, 1058 – Campos Elíseos - São Paulo/SP (junto à FUNARTE)

Fone: (11) 2766-4300

Realização: FCP – Representação Regional de São Paulo

O Edital Imagens da Memória selecionará 12 projetos de documentários de média-metragem, inéditos, que tratem sobre o tema da Escravidão a partir de depoimento de anciãos pertencentes às comunidades tradicionais de matriz africana.

Já o Edital III Idéias Criativas selecionará 38 projetos culturais (projetos de pesquisa, publicação ou projetos de atividades socioculturais formativas) alusivos ao 20 de Novembro - Dia Nacional da Consciência Negra.

A participação nos editais é gratuita e aberta a pessoas físicas e pessoas jurídicas, com ou sem fins lucrativos, que tenham experiência comprovada em atividades artísticas e culturais ligadas à cultura negra.

Saiba mais sobre os Editais Palmares 25 Anos http://www.palmares.gov.br/2013/10/editais-palmares-25-anos/

23 de out de 2013

Capulanas e Grupo Clariô dialogam, trocam e confrontam suas estéticas.


O Lugar do Outro?
23, 24 e 25 de outubro de 2013SINOPSE

O lugar do outro? é uma experiência de troca entre grupos que produzem a partir de diferentes lugares. O espaço geográfico da cidade foi o lugar ponto de partida. Quais são as diferenças de se produzir do centro ou da periferia? O que há de comum? Como evitar, de um lado, a estigmatização e, de outro, a neutralização dessas diferenças? Mas há ainda outros lugares em jogo: a divisão entre linguagens, a posição de cada grupo na cena. Espaços simbólicos que também têm seus centros e periferias.
Dois grupos que produzem nas margens da cidade, Coletivo Teatral Dolores Boca Aberta e Capulanas Cia. De Arte Negra, sugeriram seus "outros" para desenvolver um processo de convívio/ocupação. Dolores escolheu um grupo que também trabalha o teatro, mas que está sediado no centro: a Cia Antropofágica. E Capulanas, um grupo que também está sediado numa região periférica, mas que transita por outras linguagens: o Clariô.
O projeto, proposto pelo Núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural, teve consultoria de Maria Carolina Vasconcelos Oliveira.

23 de outubro
Capacidade: 70 lugares
Ingressos: GRATUITO
Classificação Indicativa: livre
Sala Vermelha
11h

O lugar do outro?

Serão discutidas dimensões que foram centrais na concepção do projeto: convívio, diversidade, ocupação, centros e periferias e produção cultural como intervenção na cidade.

Apresentação e Mediação: Sônia Sobral

Falas norteadoras:
- Maria Carolina Vasconcelos Oliveira: Diversidade e convívio: reconhecimento de novos atores na "cultura", mudanças de paradigma nas políticas culturais, quebra de privilégios das classes artísticas institucionalizadas.
- Tiaraju Pablo D'Andrea: Centros e periferias: o sujeito periférico, produção cultural nas margens da cidade.
- Amanda Freire (Cia. Antropofágica de Teatro) : Produção cultural como intervenção na cidade: a cidade como palco

15h

Formas de organização e sobrevivência: a produção cultural nas margens da cidade

O foco são as formas de viabilização das produções culturais realizadas nas margens da cidade, tanto relacionadas a financiamento como relacionadas a modelos de organização.

Mediação: Ana Paula do Val

Falas norteadoras:

- Gil Marçal: financiamento e apoio a produções culturais das periferias da cidade de São Paulo. Importância, histórico e novas perspectivas.
- Aline Maria (Agência Popular Solano Trindade): formas de organização que viabilizam a produção cultural na periferia. Estratégias, dificuldades, perspectivas. Foco: trabalho em coletivo, moeda, viabilidade econômica.
Luciano Carvalho(Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes): formas de organização que viabilizam a produção cultural na periferia. Estratégias, dificuldades, perspectivas. Foco: trabalho em coletivo, ocupação de um espaço público; acesso ao Fomento e aos recursos públicos.
- Rita Maria(Sacolão das Artes): ocupação de espaço público, gestão participativa/comunitária.

19h

NOVAS ESTÉTICAS E NOVOS PARÂMETROS
A emergência de novas vozes e novas produções na cena cultural da cidade nos obrigam a repensar antigos parâmetros de estética e crítica. Buscaremos levantar esses questionamentos e discutir sobre quais questões estéticas envolvidas no processo dos 4 grupos participantes do projeto.

Fala norteadora:
Valmir Santos: necessidade de (re) pensar a crítica, superando dicotomias como profissional x amador, social x cultural, etc. Militância como estética.

Sobre o projeto O lugar do Outro?: Priscila Preta (Capulanas Cia. De Arte Negra), Naruna Costa (Grupo Clariô de Teatro)Danilo Monteiro (Coletivo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes) e Tiago Vasconcelos (Cia. Antropofágica de Teatro).

24 de outubro às 20h

Duração:120 min (aproximadamente)
Capacidade: 219 lugares
Ingressos: GRATUITO
Classificação Indicativa: livre
Sala Itaú Cultural
Apresentação da experiência cênica: Coletivo Teatral Dolores Boca Aberta + Cia. Antropofágica de Teatro.
SINOPSE

Os encontros entre os grupos Dolores e Antropofágica buscam a interação estética entre os coletivos e, evidentemente, as intersecções políticas, uma vez que partilham a compreensão do caráter indissociável destes fatores. Buscaremos as particularidades de seus universos principalmente no que tange a dicotomia centro e periferia para, por fim, ampliar horizontes no intuito de encontrar elementos de unidade discursiva e formal.

25 de outubro às 20h

Duração: 40 min (aproximadamente)
Capacidade: 219 lugares
Ingressos: GRATUITO
Classificação Indicativa: livre
Sala Itaú Cultural

Apresentação da experiência cênica: Capulanas Cia. De Arte Negra + Grupo Clariô de Teatro
SINOPSE
Os Grupo Clariô de Teatro e Capulanas Cia de Arte Negra construíram suas histórias de vida e arte enraizadas na Periferia da Zona Sul de São Paulo. Pelo simples fato de cultivarem suas atividades em locais “adversos” ao circuito cultural paulista, fez com que suas obras dialogassem em pensamento estético e politico. Clariô e Capulanas já há alguns anos mantem uma troca artística em mostras, em movimentos culturais e em Saraus. A afinidade artística tem sido um disparador para permanentes encontros. O projeto “O Lugar do Outro?” promovido pelo Itaú Cultural antecipou uma aproximação cênica entre os dois grupos, em que, elementos da corporeidade do ator negro, da musicalidade afro-regional-brasileira e também da narrativa cênica periférica, constroem um processo baseado no confronto de cenas já criadas em outras encenações convergidas no processo 

O gol de Maurício Mauro

Por Cidinha da Silva



Era pleno de leveza o riso da mulher quando mais uma jornalista invadia sua casa para perguntar sobre o gol-sensação do filho. Um menino de 19 anos, negro, filho da mãe, mais um dos que encontram nas quatro linhas o infinito negado pela vida.

O tiro alcançou a velocidade de 119 km. De fora da área o artilheiro iniciante acertou o ângulo do goleiro. Bateu com o lado de fora do pé e a bola foi dormir no ninho da coruja. Teve comentarista louvando a sorte do goleiro que pulou na direção certa, mas não alcançou o petardo. Podia ter queimado a ponta dos dedos ou mesmo quebrado um, se pegasse de mau jeito.

A jornalista insistia: “foi o primeiro gol do seu filho no profissional, uma marca que vai ficar para sempre, um gol fantástico! A senhora não está emocionada?” “Estou, querida, estou!”  A mãe respondia e sorria, sorria, sorria.

Insatisfeita, a entrevistadora tentava extrair comentários sobre a provável trajetória de labuta e dificuldades das famílias negras daquele porte, uma mulher simples e seu filho. Um conteúdo de superação vestiria bem a matéria. Esporte é superação, ela aprendera na cadeira de jornalismo esportivo, principalmente quando praticado  por pessoas humildes.

O problema é que a mãe do jogador era dura na queda. Ela tinha tanto viço guardado, rizoma espetacular de alegria que não haveria lágrima forçada por jornalista capaz de macular aquele sorriso.

21 de out de 2013

O pastor-deputado Feliciano e a Lei 10.639

Por Cidinha da Silva


Eis que o pastor-deputado Marco Feliciano, deputado sabidamente racista, homofóbico e misógino é alçado à presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados. O ato é resultado dos acordos espúrios dos partidos políticos em busca de poder no Congresso e das estratégias condenáveis para sustentá-lo a qualquer custo (partidos de esquerda preferiram comissões mais importantes e relegaram a de direitos humanos ao PSC, que, por sua vez, indicou Feliciano para presidi-la).

Então, o pensamento reacionário e discriminador de Feliciano vem à tona, chocando muita gente boa que vive no país de Alice. Idéias nefastas manifestam-se com crueza, tacanhice e o perigo do processo de lobotomia e especulação financeira, dentre outros males, que gente como Feliciano realiza com pessoas simples, algumas em condição próxima à miserabilidade. Pessoas que a gente boa considera desprezíveis e descartáveis na sociedade de consumidores, celebridades e “cabeças pensantes”.

Que pessoas são essas? É o pessoal sem eira nem beira, maiormente, que tem encontrado na teologia do lucro, dos resultados e da promessa de prosperidade das igrejas evangélico-pentecostais, remanso para o corpo cansado da labuta e da exploração cotidiana que já degradou sua humanidade. Aquele mesmo pessoal explorado e desprezado pela gente boa. A igreja lhes restitui a fé e em nome dela, passam a sustentar a ideologia retrógrada de Feliciano até nos aspectos mínimos e frugais da vida.

E em que isso se relaciona com as dificuldades de implantação da Lei 10.639 em sala de aula? Em tudo! São os filhos dessas pessoas que ocupam os bancos de milhares de escolas públicas espalhadas pelo país. São essas crianças e adolescentes, lastreadas por pais e mães afinados com Feliciano, que demonizam os conteúdos da Lei 10.639.

Feliciano e outras centenas de pastores que exercem a função de deputados federais, estaduais e de vereadores, ou de “simples” líderes espirituais, não trocam de roupa, tampouco precisam de microfone para atribuir à vingança de deus (o deus deles) o acidente aéreo que vitimou o conjunto Mamonas Assassinas, o assassinato de Jhon Lenonn, a seca no Nordeste, as enchentes no Rio de Janeiro, os atentados em Boston e a ameaça de bomba atômica na Coréia do Norte.  Cantores como Caetano Veloso e Lady Gaga teriam feito pacto com o demônio. Ou seja, um completo nonsense, absurdo e violento.

A atitude desses pastores de ovelhas desguarnecidas demonstra que está em curso no Brasil um projeto político de teocratização do Estado e exploração da fragilidade humana por meio da construção de uma fé que alicia pessoas pouco críticas e muito desesperadas, desesperançadas. Essas pessoas demonizam as culturas negras, cuja abordagem a Lei 10.639 convoca e protege.

Feliciano e seus asseclas dizem que os africanos foram amaldiçoados, seus descendentes, sua história e cultura, também. Asseguram que isso está na bíblia, baseando-se na certeza de um livro tido como incontestável. Muitas professoras e professores são seguidores dessa crença e boicotam a implementação da Lei 10.639. Outros querem cumpri-la, mas são perseguidos por crianças, adolescentes, pais e mães sectários que os denunciam à direção da escola, às delegacias de ensino e até às delegacias de polícia.

No projeto de teocratização do Estado, existe um SNI das culturas negras, que trata de mapear educadoras e educadores comprometidos com a execução da Lei 10.639, persegue-os e obsta-lhes o trabalho. Tudo passa a ser obra do demônio: as manifestações de culturas populares como a congada, a capoeira, o maculelê, o frevo, o maracatu, o jongo e tantas outras, esteio tradicional de música, canto, dança, medicina, culinária, artesanato, brincadeiras, encenações, festas e jogos. Todas são demonizadas junto com os saberes da Umbanda e do Candomblé.

Passam por cima da laicidade do Estado e promovem o racismo e a discriminação racial em nome de Deus e em detrimento da Lei 10.639, dos direitos humanos e de cidadania. Em benefício da perpetuação do escárnio virulento à diversidade humana, verificado minuciosamente nas escolas e na educação brasileira.

 

20 de out de 2013

O mundo dos aplicativos

Por Cidinha da Silva




Inovação tecnológica era com ele mesmo.  O brinquedinho do momento era o check in, um aplicativo usado pelas celebridades para dar pinta, recomendar um lugar e fingir importância.

Pois o rapaz estava animadíssimo. De dentro do carro popular observava pelo binóculo o restaurante fino e mandava ver: “galera querida, cheguei ao restaurante mais frequentado pelos ricos, famosos, televisivos e colunáveis da cidade. O botox da fulaninha expirou. O cicraninho não está tão bem das pernas quanto ostenta, a convidada pagou metade da conta. O furustreco 1 e o furustreco 2 vestem a mesma camisa. Um constrangimento. Nada de modelo exclusivo. Adeus galera! Até a próxima edição.”

Era assim em todos os lugares que o sujeito achava importante noticiar. “Alô, alô turba que me segue, acabo de ocupar minha cadeira de 500 reais na decisão da Copa das Confederações” ou, “cheguei no Santos Dumont e adivinhem quem eu vi? A gostosa da novela das nove trocando afagos com um bonitão novo.”

Aquele dia, contudo, foi o dia da superação. Ele passava por uma igreja e viu pessoas de terno preto e roupas fechadas, gente circunspecta e elegante circulando por ali. Abriu o porta-malas do carro, pegou o blaser clássico das horas especiais, vestiu-o, passou brilhantina no cabelo, acertando-o impecavelmente no retrovisor, arrumou os óculos escuros, preparou o aplicativo.


Sacou a cara de consternação mais convincente do bolso interno do casaco e entrou na fila de visitantes. Os passos eram lentos, as bocas caladas e ele ansioso para chegar ao início da fila. O fim de seu arco-íris guardava um caixão lacrado. Diante do inusitado, ele era só felicidade. Acionou outro aplicativo para a fotografia do dia, enquanto matutava o texto do check in.  

19 de out de 2013

Os velhos se vão, o velho grita


Por Cidinha da Silva

O tema da discussão era porque as personagens de um documentário sobre memórias da escravidão e seus desdobramentos deveriam ser mulheres e homens de 80 anos ou mais.  Foram feitos cálculos para saber em que ano as tais pessoas teriam nascido, a idade presumível dos pais, quantas gerações teriam sucedido a lei de abolição da escravidão até o ano de nascimento da personagem, etc.

As diretoras do documentário explicaram que a memória das gerações mais velhas sobre a escravidão por tê-la vivido ou por serem filhas de pessoas que a conheceram muito de perto estava se perdendo pelo simples desaparecimento dessas pessoas.

Começou, então, o levante da memória de netos e bisnetos da escravidão no século XXI. Era tudo tão vívido que não havia a diluição do tempo. A transformação do tempo. O perdão do tempo.

Um contou como as crianças nascidas sob a égide do ventre livre eram tratadas numa fazenda de café, o avô fora uma delas. Eram presas por cordas no pátio para não brincar, para não atrapalhar a produção da mãe-trabalhadora, para executar alguma tarefa que a crueldade do escravizador designasse.

Um índio urbano se levanta e diz que com o avô era igualzinho, era um negro da terra.

Outra contou dos sucessivos estupros sofridos pela avó que deram origem à pele branca, ao cabelo crespo e aos olhos verdes dela, a neta. Por inveja e vilania, a esposa do estuprador  mandou quebrar os dentes da avó para que ficasse feia,  mas com o resto do corpo intacto para realizar a colheita.


Outra, ainda, contou que numa fazenda isolada do interior de São Paulo, os escravizados só souberam do fim da escravidão em 1910. A revolta foi tão grande que todos se juntaram, dominaram os escravizadores, amarraram-nos dentro de casa. Fecharam todas as portas e janelas, incendiaram a propriedade e caminharam livres pela estrada. 

14 de out de 2013

FIQUE LIGAD@!: Oficinas de formação para os Editais Palmares 25 anos em São Paulo


 by marakarina                                             

Os Editais Ideias Criativas e Imagens da Memória foram lançados no dia 1º de outubro e estão abertos até o dia 14 de novembro.



Para garantir a maior participação possível dos agentes culturais negros nos editais Palmares 25 anos, a Fundação Cultural Palmares – MinC (FCP), realiza oficinas de capacitação para o 3º Edital Ideias Criativas e 1º Imagens da Memória, em São Paulo, Alagoas e Pernambuco.
As oficinas têm como objetivo ampliar o acesso aos editais, preparar os agentes culturais negros para participar e esclarecer as dúvidas mais frequentes sobre este tipo de certame. Estes eventos fazem parte das comemorações de 25 anos da FCP – MinC, como parte do esforço para ampliar o acesso dos artistas e produtores negros aos recursos públicos.
Os certames são meios democráticos de viabilização e de dar visibilidade a arte e cultura negra, “apesar de os editais serem um dos instrumentos de efetivação das políticas públicas, muitas pessoas, ainda se sentem despreparadas para participar, dai a importância das oficinas de capacitação”, disse Martha Rosa, chefe de gabinete da FCP.
Editais Palmares 25 anos  A terceira edição do Edital Ideias Criativas, com apoio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, vai destinar R$1 milhão a 38 projetos com o objetivo de promover a dinamização, preservação e difusão da memória da população negra no Brasil.

Já o 1º Edital Imagens da Memória tem como premiação R$1,3 milhão, do Fundo Nacional de Cultura, será distribuída entre 12 obras audiovisuais que irão captar as narrativas de mulheres e homens negros das comunidades quilombolas, tradicionais de matriz africana e ícones das manifestações culturais afro-brasileiras sobre temas diversos, adotando as histórias sobre a escravidão como parâmetro prioritário para os registros.

Os produtos motivados pelos editais farão parte do acervo da Fundação Cultural Palmares – MinC.

Sorocaba/SP
Data: 15/10/2013 
Local: Secretaria da Cidadania do Município de Sorocaba – Rua Santa Cruz, Nº 116, Sorocaba/SP.
Fone: (15) 32191920
Parceiro: Secretaria da Cidadania do Município de Sorocaba.

Pirituba / SP
Data: 16/03/2013
Local: Sede do Coletivo Cultural Elo da Corrente
 Fone: (11) Rua Jurubim, 788, Pirituba
Parceiros:  Coletivos Culturais Esperança Garcia e Elo da Corrente
                        
Guarulhos/SP
Data: 17/10/2013
Local: Auditório do Paço Municipal, Rua Bom Clima, 91 Fone: (11) 2468.0156
Parceiro: Assessoria de Políticas Para Comunidades Tradicionais de Terreiro.

São Miguel Paulista/SP
Data: 18/10/ 2013
Local: Sub-prefeitura de São Miguel Paulista, Auditório Teotônio Vilela- Rua Dona Ana Flora Pinheiro de Souza, n.76, São Miguel Paulista/SP.
Fone: (11) 2052.0627
Parceiros: Fórum de Cultura de São Miguel Paulista / Supervisão de Cultura de São Miguel Paulista

Mogi das Cruzes/SP
Data: 21/10 /2013
Local: CAZEBA – Rua Ipiranga 661, Centro. Mogi das Cruzes/SP.
Fone: (11) 9728.58502
Parceiros: Polo Monte Zion e CAZEBA – Incubadora Cultural Mogi das Cruzes.

São Paulo/SP
Data: 29/10/2013
Local: Auditório do MinC – São Paulo, Alameda Nothmann, 1058 – Campos Eliseos  São Paulo/SP.
Fone: (11) 2766.4300
Realização: FCP – Representação São Paulo.

Campinas/SP 
Data: 30/10/2013
Local: Ponto de Memória e Cultura Instituto Baobá – Rua Ema Nº 170, Vila Padre Manoel da Nóbrega – Campinas/SP.
Fone: (19) 3342.5911
Parceiro: Instituto Baobá (IBAÔ).