II Seminário Nacional de Lésbicas Negras e Bissexuais, SENALE Negras, aborda temas estruturantes numa trama de intersecções necessárias entre combate ao racismo, sexualidade, relações de gênero e um cotidiano de cuidados consigo e com as outras
Por Cidinha da Silva
Acontece de 28 a 30 de agosto de 2015, em Curitiba, o II Seminário Nacional de Lésbicas Negras e Bissexuais, SENALE Negras. O tema geral é instigante: “Afirmando identidades para a saúde integral” e mobiliza cerca de 150 mulheres inscritas, oriundas de todo o país.
Durante três dias, palestras, rodas de conversa e oficinas abordarão temas estruturantes para a vida das lésbicas e bissexuais negras, numa trama de intersecções necessárias entre combate ao racismo, sexualidade, relações de gênero e um cotidiano de cuidados consigo e com as outras, e de construção da saúde integral.
Os debates começam com dois painéis, o primeiro sobre a trajetória das mulheres negras e lésbicas na história do Brasil e outro sobre perspectivas de autonomia: influência do trabalho na vida das lésbicas negras. Trata-se de duas questões candentes sobre protagonismo e sobre saúde psíquica e subsistência material das lésbicas e bissexuais negras.
Temas como as vulnerabilidades experimentadas pelas jovens lésbicas e bissexuais negras e os avanços e desafios das políticas públicas para o setor, racismo, equidade e saúde, afetos e desafetos na lesbianidade também serão abordados.
Haverá um foco específico na área da saúde com debates sobre os impactos do racismo institucional na saúde, uso de álcool e outras drogas, saúde sexual e reprodutiva de lésbicas e bissexuais, com atenção às situações de violência sexual. Temáticas fundamentais, uma vez que, dentro das casas tem crescido a denúncia de casos de violência entre mulheres e, fora delas, avançam exponencialmente os casos de “estupros corretivos”.
O encontro contará ainda com relatos de experiências da implementação da Política LGBT nas cidades e estados; discussões sobre a situação da juventude de terreiro e o extermínio da juventude negra.
Acontecerão também oficinas literárias, exibição de filmes e documentários sobre a temática do seminário, debate sobre a participação organizada das lésbicas e bissexuais negras  na Marcha Mulheres Negras 2015 Contra o Racismo e pelo Bem Viver, prevista para o dia 18 de novembro, em Brasília.
Por fim, serão ainda contempladas as temáticas das lésbicas, bissexuais e trans negras privadas de liberdade e haverá um olhar amoroso e pleno de cuidados sobre o envelhecer das lésbicas e bissexuais negras.
Dá mesmo vontade de participar.
Foto de capa: Braden Summers